quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Saint-Malo no tempo do Capitão Toussaint Grugel

O Capitão Toussaint Grugel ao ter sido capturado pelo Coronel João Pereira de Souza Botafogo, comentou no interrogatório que havia estudado em duas cidades, sendo Saint-Malo (Sant-Maloù em bretão) uma delas.
Lembrando que foi dessa cidade que partiram duas naus sob o comando de Toussaint, que as estava capitaneando com destino a Vila de Cabo Frio, onde fora aprisionado pelo Coronel João Botafogo.
O Governador da Capitania Real do Rio de Janeiro, Salvador Correia de Sá (durante o seu segundo governo) numa de suas viagens para a Vila de Cabo Frio, levou o prisioneiro para a Vila de São Sebastião do Rio de Janeiro, concedendo-lhes permissão para residir no vilarejo até a sua morte.
Aproveitarei para enfatizar uma correção, Heitor Gurgel em "Uma família carioca do século XVI" informa que o corsário morreu em 1651, no entanto tal data é problemática se for traçada uma cronologia dos eventos. Acredito que Heitor tenha cometido um erro de digitação que não foi revisado, por esse motivo, prefiro ficar com a versão de que Tocem faleceu em 1631, tal ano está muito mais alinhado com a sua biografia.

Retomando ao princípio do assunto: Toussaint informou ter estudado Hidrografia e Ciências Náuticas na referida cidade. Tal informação me instigou a fazer uma investigação se tal informação é ou não procedente, e o resultado me motivou a escrever esse texto. "E lá vamos nós" frase dita pela personagem Witch Crafty numa curta metragem de 1955 do desenho animado estaduniense Woody Woodpecker (Pica-Pau em português).

Nessa cidade francesa existe uma instituição denominada "École nationale de la Marine marchand de Saint-Malo" que foi fundada oficialmente em 1699, por causa da decisão do Secretário de Estado da Marinha, Jean-Baptiste Colbert (1619-1683) durante o reinado do monarca Louis XIV (le Roi-Soleil).
Colbert percebeu que a France precisava investir numa escola real de hidrografia, pois o comércio marítimo francês (que era o mais importante da época) se beneficiaria disso. Vale lembrar que a França já foi a maior potência do mundo, e que por conta disso indivíduos de outros países aprendiam o idioma francês, seguiam as tendências da moda e da arquitetura francesa, e ainda que a franco francês foi a moeda forte mundial (durante um tempo), assim como o dólar americano nos dias de hoje.
Se formos considerar a lógica, Toussaint já não era mais vivo em 1699, e partiu para sempre da sua pátria (a France) em 1565, quando saiu dessa cidade para ir a Vila de Cabo Frio no Brasil.
Então como ele estudou 'o que estudou' nessa cidade?
Conforme a ENSM, durante os séculos XV e XVII, o ensino marítimo se difundiu graças as oficinas de organizadores de mapa especialmente nas cidade francesas, Dieppe e Le Conquet.
  • Commune de Dieppe, pertencente ao departamento Seine-Maritime, situado na Normandie.
  • Commune de Le Conquet (Konk-Leon em bretão), pertencente ao departamento Finistère, situado na Bretagne.
Logo, deduzo duas teorias:
  • Estudou de fato em Saint-Malo, tendo em vista que se em 1699 era fundada uma escola marítima... É possível especular que já havia certa tradição desse tipo de ensino nessa cidade;
  • OU ainda que Toussaint estudou perto da sua terra natal (Le Havre) que por sua vez é próxima de Le Conquet.
A ENSM, inclusive relata que por volta de 1180 já havia registros do ensino marítimo na Université de Paris, já que o professor inglês Alexander Neckam de Saint-Alban (1157-1217) ensinava na classe: todos os itens para equipar um navio, além de transmitir uma descrição bem detalhada da bússola magnética. Não esquecendo que em 1571, o Roi Charles IX fundou uma escola marítima em Marseilles.
É mais seguro afirmar que de fato o corsário Toussaint tenha estudado Hidrografia e Ciências Náuticas, do quê indicar que essa ou aquela instituição era a sua alma mater.
Todavia, há um contexto histórico que sustenta a informação que estudou nessa cidade. O genovês Cristoforo Colombo (1451-1506) descobriu as Américas em 1492, desde a sua descoberta tal continente passou a ser explorado pelos reinos de Portugal e Espanha que eram os "proprietários" de tais terras, mas isso não impediu que outros povos europeus se aventurassem por aqui. O comércio Europa-Índias estava cada vez mais constante. E devido a tais fatores, Saint Malo enriqueceu, e foi justamente no tempo em que floresceu o surgimento de corsários nessa cidade, que nada mais é do que um comandante de navio autorizado pela coroa a atacar embarcações de nações estrangeiras. Se um corsário quisesse ser bem sucedido precisaria de conhecimento técnico e prático para comandar um navio com maestria.

Já que toquei no histórico dessa cidade, irei contar nas próximas linhas (enfatizando o período em que Toussaint viveu na França.
A cidade de Saint-Malo se tornou o principal porto da Bretagne em meados do século XII, pois a cidade portuária de Aleth era constante atacada pelo povos normandos. Devido a isso, os habitantes de Aleth passaram a se refugiar na Rocha de Saent Mallou, que possui esse nome por ter sido o local em que (o santo) Maclou experimentou a vida de eremita por algum tempo e também por ter sido bispo quando por lá ainda viviam os coriosolites, antiga tribo gaulesa, que se estabeleceu na região bem antes do imperador Gaius Iulius Caesar conquistar a Galia entre 58 e 51 a.C.
Outro fator que elevou a importância de Saint-Malo em relação a Aleth, foi a mudança da topografia da região devido ao aumento do nível das águas do Rive Rance ao longo dos séculos, que reduziu o terreno em frente da Tour Solidor (os barcos costumavam desembargar produtos nesse local).
Desde então, Sant-Maloù passou a ser disputada por rois de France e ducs de Bretagne por causa da posição estratégica, até se tornar definitivamente um domínio da Coroa Francesa.

Daí vem o tempo dos piratas já comentado, séculos se passam e a cidade se torna o Festung St. Malo durante a II Guerra Mundial, quando os alemães dominam a cidade. 80% da cidade foi destruída ao ser bombardeada por americanos. O conflito termina com a vitória dos Aliados.

Posteriormente, a cidade foi reconstruída com estilo "histórico", porém não similar ao que era antes. Todavia, foi possível deixá-la o mais aproximada possível devido a reutilização de destroços, sem contar que as novas construções eram feitas conforme o estilo arquitetônico de períodos anteriores.
E nos dias de hoje é uma cidade muitíssimo visitada no verão, além de ser um importante porto de pesca e lazer.

Mapa antigo de Saint-Malo
Texto baseado em pesquisas na enciclopédia colaborativa online Wikipédia + site da ENSM - École Nationale Superieure Maritime (http://bit.ly/2yLwd7Q).

Um comentário:

  1. Feliz 2018, André Garcia!
    https://gurgel-carlos.blogspot.com.br/2017/12/a-busca-de-andre-garcia-por-livros-de.html

    ResponderExcluir