quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Interpretando as entrelinhas do Dr. João de Azevedo Roxas

O português Antônio de Azevedo Roxas era filho de Afonso João Roxas e Antônia Azevedo. Antônio se casou em 1646 com Antônia do Amaral Gurgel (1622-1671), filha do Capitão Toussaint Grugel e de Domingas de Arão do Amaral.
De acordo com o testamento do referido luso citado no Rootsweb (http://bit.ly/2yBSfsS), teve 10 filhos, sendo que apenas cinco sobreviveram, até o momento conheço a identidade de apenas três.
E conforme a obra Baú de Ossos de Pedro Nava (http://bit.ly/2xPSyMT), João era médico e morava na esquina da Rua General Câmara com a Rua Quintanda, e por esse motivo tal cruzamento era conhecido como Canto do Roxas.
Considerando tais informações é válido afirmar que o Dr. Antônio deve ter sido conhecidíssimo no seu tempo. Vale mencionar que ás vezes grafam seu último sobrenome assim "Roxão". 
E a respeito da rua em que residiu o referido médico colonial, tal rua teve vários nomes ao longo do tempo:
  • Caminho de Gonçalo Gonçalves, no seu trecho inicial nas marinas;
  • A partir das proximidades da Candelária era conhecida como "rua que vai para o Cruzeiro da Candelária";
  • Rua do Azeite, pois era nela que comercializavam tal produto (geralmente de baleia) para iluminar as ruas da cidade;
  • Rua do Sabão, no trecho onde predominava os estabelecimentos que comercializavam tal produto;
  • No cruzamento com as ruas Ourives e São Domingos era denominada como Rua Bom Jesus, devido a Igreja do Senhor Bom Jesus do Calvário no canto com a Rua Vala;
  • E do campo de Santana até o seu fim se chamava Rua dos Escrivães devido a existência de muitos cartórios ao longo desse trecho;
Em 1840, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro passou a denominar o trecho antigo como Rua do Sabão da Cidade Velha e o prolongamento como Rua do Sabão da Cidade Nova;
E a partir do segundo dia do mês de abril de 1870 passou a ter a atual denominação em homenagem ao vencedor do arroio Aquidabã, o Marechal José Antônio Corrêa da Câmara (1824-1893), também conhecido por ter sido o 2º Visconde de Pelotas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário