sábado, 27 de julho de 2013

Brasão de Armas e a Origem da Família Medeiros

A história dessa família é também incerta, devido o sobrenome ser de origem toponímica. Mas esse sobrenome, possui certa peculiaridade (que irei comentar depois). Os que o utilizam:
  • Muito provavelmente moravam perto de algum estábulo (medeiro), que nada mais é que um lugar onde há medas (animais), montes de feixes de trigo, palha. Portanto, os primeiros Medeiros ou moravam próximo ou trabalhavam cuidando de pastos para animais. Pois 'medeiros' é um derivado de 'meda', que por sua vez significa objetos/alimentos empilhados.
  • Há localidades nos dois países da Península Ibérica que se chamam Medeiros. Portanto, os que viviam em tais localidades adotaram a denominação como sobrenome.
O Armorial Lusitano conta que: Martim Sanches de Medas, um cavaleiro do tempo do Rei D. Afonso III de Portugal, levou o pendão do Conde D. Martim Gil de Soverosa, grande senhor daquele tempo, que guerreava contra D. Rodrigo Sanches (filho bastardo do Rei D. Sancho I de Portugal), que foi vencido e morto nesse combate do Porto em 1245.
Martim Sanches de Medas casou com Dª. Dórdia Nunes de Aguiar, filha de Nuno Martins de Aguiar, descendente de D. Arnaldo, senhor de Baião, e também de D. Gonçalo Mendes de Sousa. Desse matrimônio (Martim-Dórdia) surgiram vários filhos que utilizaram o sobrenome Medas.
Apesar de não ser muito aceita, alguns genealogistas consideram que Medas foi uma forma primitiva de grafar o sobrenome Medeiros, pois há similaridade apesar de não haver comprovação de um elo entre Medas-Medeiros.
A pessoa mais antiga com esse sobrenome que se tem registro é Rui Gonçalves de Medeiros, que tomou partido do Mestre de Avis, o futuro Rei D. João I de Portugal contra o Rey D. Juan I de Castilla.
É de Rui Gonçalves de Medeiros que descendem os que possuem tal sobrenome. Um ramo dessa família se fixou na região dos Algarves, e um outro ramo na ilha de São Miguel, Açores, ambos oriundos da Vila de Ponte de Lima, Portugal, os dois durante o século XV.
O povo de Évora, Portugal, pôs o alcaide do castelo, Álvaro Mendes de Oliveira no poder. Rui defendeu o partido da Rainha Dª. Brites (a proprietária) e expulsou Álvaro de lá. Como recompensa, a rainha entregou-lhes o castelo.
No Brasil, os Medeiros descendem de bandeirantes e sertanistas que partiram de São Paulo, de Minas, da Bahia, do Ceará, do Rio Grande do Norte e da Paraíba, onde dedicaram-se à criação de gado e à abertura de roças e caminhos para buscar índios no sertão e pegar negros fugidos.

Informações retiradas do artigo de Djanira Sá Almeida no Webartigos (http://bit.ly/2jED8UO) + o site Origem do Sobrenome (http://bit.ly/2jf8BAG).


Escudo d'Armas dos Medeiros: de vermelho, com cinco cabeças de águias de oiro, postas em sautor. Timbre: uma água estendida, sainte, de vermelho, armada de oiro.

Fonte: Armorial Lusitano, pág. 352.

Nenhum comentário:

Postar um comentário