terça-feira, 12 de março de 2013

Gourgues x Gurgel

Uma análise do brasão de armas da família Gurgel remete (devido a semelhança) ao de uma antiga família de navegadores franceses, os Gourgues. Se baseando nessa teoria, os historiadores/genealogistas acreditam que Toussaint Grügel tenha sido um possível irmão mais novo do nobre francês, Dominique de Gourgues.
Dominique entrou para história, por ter sido o capitão do exército que em 1568 massacrou espanhóis no norte da antiga Florida. Três anos antes, o Rei D. Felipe II de España por ser católico fervoroso, e em nome da sua fé (e também motivado pela política), queria proteger suas províncias dos hereges. Por causa disso, o monarca espanhol promoveu uma série de matanças nas proximidades do Fuerte Carolina, Florida, pois lá viviam huguenotes (franceses protestantes) que refugiavam-se no Novo Mundo por causa das perseguições na Europa. Com sede de vingança, e a serviço do Roi Charles IX de France, vendeu parte dos seus pertences e com mais algum dinheiro emprestado do seu irmão, Antoine de Gourgues, contratou uma tripulação e três barcos. Navegou até Cuba nas Antillas Españolas com duzentos homens, chegando lá, comunicou a tripulação o objetivo da sua viagem, que logo concordou. Então partiram para o vilarejo espanhol e logo se aliaram ao chefe tribal Saturiwa, da tribo Timucua (antigos moradores dessa região). Feito isso, renderam o Fuerte Carolina e massacraram todos os prisioneiros, tudo não passou de uma 'resposta ao passado' (venganza/vengeance). Logo depois, Dominique retornou a França. (http://bit.ly/1thNnlE). Pouco se sabe sobre a vida de Dominique (antes ou depois desse ato histórico), apenas que:
  • Nasceu em 1537 na cidade de Mont-de-Marsan, Gascogne, France e faleceu em 1593, na cidade Tours, Touraine, France. 
  • Era o terceiro filho do casal, Jean de Gourgues, seigneur de Gaube e Montlezun e Isabelle du Tau. 
  • Foi pai de Claude de Gourgues.
  • Servia ao Roi Charles IX de France e também ao 3º Duc de Guise, Henri I.
  • Aprendeu a lutar quando ainda era um menino.
  • Era um viajante nato, serviu a Coroa Francesa na Escócia, África, América do Sul (inclusive no Brasil) e também na Itália. Sendo que na cidade italiana, Sienne, Toscane foi capturado em 1557 por espanhóis e enviado para uma galé (um antigo tipo de barco movido a remo). Posteriormente foi capturado por turcos. Foi liberto por malteses. Dizem que se tornou um membro da l'ordre de Saint-Jean-de-Jérusalem.
  • Outras versões, afirmam que ao ser capturado pelos espanhóis, fugiu. E que antes da fuga era forçado a cozinhar como um escravo, sempre sendo rudemente tratado.
Considerando a história, Toussaint tinha motivos suficientes para mentir o seu real sobrenome. Já que os portugueses eram aliados dos espanhóis, vale lembrar dos sucessivos casamentos entre os monarcas ibéricos, sem contar com a fracasso da França Antártica.
O sobrenome francês Gourgues é bem "similar" ao alemão Gürgel. Os portugueses grafaram o nome de Toussaint como Tocem, (...) então porque não ouviram o sobrenome de outra forma?
Estas e outras questões, talvez um dia se confirmem ou não. Respostas estas enterradas no túmulo do patriarca dos Gurgel do Amaral.
Algo intrigante (para pensar): Toussaint foi o único detido na Vila de Cabo Frio que teve o direito de permanecer no Rio de Janeiro, Brasil e desposou a mão de uma jovem de boa linhagem. Vale também ressaltar que Toussaint estudou, somente os nobres tinham acesso a educação na chamada Era Moderna.
Um de seus descendentes, requereu o brasão de armas justificando que a família não tinha o sangue de nenhuma nação infecta, o Amaral (por Domingas) e o Gurgel (por Toussaint) que se parece com as armas dos Gourgues. Coincidência demais, não? 

P.S.: Se algum dia (isso se) souberem onde ele e Dominique estão enterrados, seria possível fazer testes de DNA e encontrar soluções/respostas;

Texto baseado numa das muitas conversas genealógicas do Ancestry Rootsweb (http://bit.ly/12pgfKL) e na enciclopédia colaborativa online Wikipédia.
__________________________________________________________________________

Stephen A. Schwarzman Building / Print Collection, Miriam and Ira D. Wallach Division of Art, Prints and Photographs

6 comentários:

  1. Olá, Primo! Aqui a Outra descendente dos Amaral Gurgel: Maria Godoy de Azevedo de Castro Faria. Sobre a proposta de encontrar os restos do Corsário, Nosso Ancestral é Fácil: Deve estar junto de Todos da Família. Méssia "ordenou que seus sufrágrios fossem sepultados no Convento de Santo Antônio, no Rio de Janeiro", assim como as irmãs. Logo supõe-se que a Mãe e o Pai também por ali foram sepultados. Estive no Convento e está em fase de restauro, mas fiz um passeio por onde há 12 sepulturas que se encontram acessíveis como "piso" do referido Convento. Após o restauro, as informações sobre quem está onde está, talvez possamos saber mais sobre o assunto. Quando lá estive, fotografei a data de fundação em seu Pórtico 1619. Assim, esperemos mais um tempinho, espero que não mais um século, pois fatalmente não estarei mais por aqui e veremos se possível for, averiguar os registros do Santuário e Convento de Santo Antonio. Parabéns Sempre pelo seu Trabalho e Desempenho. Sempre conte comigo para compartilhar qualquer dado. Um Grande Abraço.

    Sua Prima Maria

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado prima, aliás isso é um furo e tanto. De tanto assistir esses seriados policiais tais como CSI: Crime Scene Investigation ou Bones, fico a pensar e se fosse feita uma análise nos ossos de Toussaint e se o comparesse com o de Dominique de Gourgues? Uau! Seria possível determinar o parentesco, no caso de não haver seria possível (talvez) extrair algum DNA e fazer aquele teste de Cromossomo Y e descobrir suas misteriosas origens.
    Prepara-se, a série de polêmicas/teorias/hipóteses genealógicas logo mais começará rs.
    Estando certo ou errado, espero eu que algum renomado historiador/genealogista esbarre nesse humilde blog e se interesse pra checar a veracidade. :P

    ResponderExcluir
  3. Bom dia e congratulações a todos.

    Sou da Família Gurgel Santos Dias, ainda não presente no Livro mas que estamos, há algum tempo, buscando e rebuscando fatos dos nossos ancestrais.

    Como se chega aos documentos no Convento de Santo Antônio?

    Meu email para contatos: leonardodias@sesc-ce.com.br
    whatsapp: 085 987915729

    A família aqui (Gurgel Santos Dias) é bem grande!

    Espero o retorno.

    Abraços, primos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá primo Leonardo, li seu comentário e já enviei um e-mail para você. Infelizmente, não sei te informar isso por não residir no Rio de Janeiro - RJ.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Grukujam Gurjam, respondendo a sua pergunta.
      Houve apenas um Grugel nesse período de tempo (fim dp século XVI), todos os Amaral Gurgel ou Gurgel do Amaral descendentem de Toussaint Grugel e Domingas de Arão Amaral. Com o passar do tempo surgiram os ramos do sudeste e do nordeste brasileiro, e os ramos portugueses e o angolano (esse último se ramificou no Moçambique, Guiné Bissau e também em Portugal).

      Excluir